É Parametrização, baby!

Marcelo Tramontano, Maria Julia Martins, Gabriele Landim , Dyego Digiandomenico, Luciana Santos Roça

Marcelo Tramontano é arquiteto e Livre-docente em Arquitetura e Urbanismo. Professor Associado e pesquisador do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP), onde coordena o Nomads.usp, Núcleo de Estudos de Habitares Interativos, editor da revista V!RUS.

Maria Julia Martins é Pedagoga, Mestre em Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte, e pesquisadora do Nomads.usp. Investiga o campo das artes corporais contemporâneas e suas relações com o espaço público urbano.

Gabriele Landim é arquiteta e pesquisadora do Programa de Pós-graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, IAU-USP. É pesquisadora voluntária no Nomads.usp.

Dyego Digiandomenico é arquiteto e pesquisador do Programa de Pós-graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, IAU-USP. É pesquisador voluntário no Nomads.usp.

Luciana Santos Roça é bacharel em Imagem e Som, Mestre em Arquitetura e Urbanismo e pesquisadora do Nomads.usp. Estuda intervenções sonoras em espaços urbanos, procurando integrar os campos disciplinares de Estudos de Som e Arquitetura.


Como citar esse texto: TRAMONTANO, M.; MARTINS, M. J.; LANDIM, G.; DIGIANDOMENICO, D.; ROÇA, L. É parametrização, baby!. V!RUS, São Carlos, n. 11, 2015. [online] Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus11/?sec=1&item=1&lang=pt>. Acesso em: 24 Set. 2017.

A décima primeira edição da revista V!RUS propõe um exercício de ampliação do conceito de parametrização a partir de diferentes abordagens teóricas e metodológicas, em diferentes áreas do conhecimento. Para instrumentalizar esse debate, temos o prazer de apresentar quinze textos, quatorze em Português e Inglês e um em Espanhol e Inglês, distribuídos em uma entrevista, nove artigos selecionados dentre os submetidos, sendo um apresentado na seção Projeto, quatro textos livres na seção Tapete, e um artigo de pesquisadoras do Nomads.usp. Agradecemos aos trinta autores das contribuições que compõem essa edição, que resultam de pesquisas desenvolvidas em instituições de dez países, por participarem de maneira tão generosa da interlocução proposta pelo Nomads.usp através de sua revista.

Para discutir o conceito de parametrização, recebemos o filósofo Ruy Sardinha Lopes para uma conversa com Marcelo Tramontano, editor-chefe da V!RUS. De uma perspectiva histórica que parte da Grécia antiga até os dias de hoje, a entrevista A parametrização como mediação, ou o homem e sua sina apresenta os movimentos do pensamento humano diante do dilema entre controle e acaso, e a parametrização como, talvez, uma eterna busca humana de matematizar a natureza e o mundo para nele intervir.

Quatro textos propõem discussões teóricas e críticas sobre temas relacionados com a parametrização. Em A estética de dados e o papel da narração em artefatos generativos, Luiz Gustavo Zanotello discute os diferentes aspectos narrativos inerentes aos artefatos generativos, e explora o seu papel como evidências de uma especulação ontológica característica destes artefatos a partir dos conceitos da teoria ator-rede de Bruno Latour e da ontologia orientada aos objetos como proposta por Graham Harman; em O manifesto do Parametricismo: perspectivas acerca de um "novo estilo global" para o design da arquitetura e do urbanismo, Rodrigo Scheeren e Daniel Costa Lima propõem uma reflexão que visa explicitar e aprofundar o discurso teórico do Parametricismo, suas propostas, conceitos e técnicas, além da sua posição entre outros manifestos na história; em Entre clichês e intenções: reflexões sobre o processo criativo no ambiente digital, Aura Celeste Cunha e Ney Dantas buscam estabelecer um paralelo, na arte e na arquitetura, entre o analógico e o digital através de uma reflexão crítica sobre o ambiente digital no processo de criação e possíveis métodos de investigação dos processos criativos; e em Quão cibernética é a parametrização?, as pesquisadoras do Nomads.usp Anja Pratschke e Mariah Di Stasi expõem teorias situadas por trás do design paramétrico, os princípios, as vantagens e campos de conhecimento necessários para dominar modos de fazer, ou projetar com código.

Nas áreas de Arquitetura e Design, três outros textos exploram o tema do ensino de projeto e da pesquisa acadêmica a partir da abordagem paramétrica, seus desafios e contribuições: Estratégias de design paramétrico: construção robótica em pesquisa acadêmica e ensino arquitetônicos, de Henriette Bier, que situa a discussão no contexto holandês, Reflexões sobre a introdução da abordagem paramétrica no ensino de projeto, de Neliza Romcy, Marcelo Tinoco e Daniel Cardoso, que trata do contexto do nordeste brasileiro, e Usando o conceito de Rich-Prospect Browsing para conversações em cenários de design, de Celso Scaletsky, Stan Ruecker e Guilherme Meyer, que apresenta uma experiência no extremo sul do Brasil. Esses textos têm como problemática comum a necessidade de se construírem novos métodos ao se utilizarem processos paramétricos no ensino e na pesquisa em arquitetura e design.

Na escala urbana, Carlos Vanegas apresenta o texto Design inverso de modelos urbanos processuais, que discute a modelagem processual do urbano como contraponto às técnicas convencionais de modelagem de ruas, terrenos, prédios e fachadas, utilizando a parametrização para ampliar as possibilidades de antecipação de eventos e intervenções no planejamento urbano.

Na intersecção entre urbanismo, parametrização, audiovisual e sociedade, o texto Mapeando los bienes comunes urbanos: un método paramétrico y audiovisual apresenta um projeto que agrega pesquisadores de diferentes países em torno do mapeamento de bens urbanos comuns. O texto é de autoria de Pablo de Soto (Rio de Janeiro), Daphne Dragona e Demitri Delinikolas (Atenas), Aslihan Senel (Istambul) e José Pérez de Lama (Sevilla).

Na pesquisa musical, o texto O que é música cognitiva paramétrica?, de Fernando Egido, apresenta como a parametrização altera os processos composicionais e os modos de compreender e perceber os fenômenos sonoros e, em especial, musicais.

Apontando desafios e perspectivas na área da fabricação digital de biomateriais e células de tecidos humanos, o texto Biofabricação e suas estratégias, de Janaína Dernowsek, Rodrigo Rezende e Jorge Lopes da Silva trata da impressão 3D de modelos virtuais e físicos incorporando conceitos biológicos.

O uso da parametrização no universo técnico-construtivo é tratado em três trabalhos, dois deles abordando questões específicas: Automatizando o projeto de alvenaria racionalizada, de Levi Pinheiro, Daniel Cardoso e Alexandre Bertinio, e Parametrização aplicada ao desempenho energético de edificações, de Joyce Carlo. Seus autores defendem que a parametrização pode propiciar uma visão sistêmica tanto do projeto, como de processos de construção resultando em maior eficiência. Já o texto Techne digital, de Santiago Albarracin, apresenta modos de uso da parametrização visando a materialização de objetos arquitetônicos, em alguns escritórios de arquitetura de diferentes países.

Temos também a satisfação de informar nossos leitores e leitoras que, a partir da próxima edição, a periodicidade da revista volta a ser semestral, com previsão de lançamento da V!RUS 12 em julho de 2016 e da V!RUS 13 em dezembro de 2016. Desejamos a todas e todos boa leitura, bom debate, boas reflexões.



It’s Parametrization, baby!

Marcelo Tramontano, Maria Julia Martins, Gabriele Landim , Dyego Digiandomenico, Luciana Santos Roça

Marcelo Tramontano is Architect and Associate Professor in Architecture and Urbanism. He teaches and is a researcher at the Institute of Architecture and Urbanism (IAU-USP) of the University of Sao Paulo, Brazil. He directs the Nomads.usp, Center for Interactive Living Studies, publisher of V!RUS journal.

Maria Julia Martins is Pedagogue, MSc in Education, Knowledge, Language and Art and researcher at Nomads.usp. She investigates the field of contemporary arts body and its relationship with the urban public space.

Gabriele Landim is Architect and researcher at the Post-graduate Program of the Institute of Architecture and Urbanism of the University of Sao Paulo, Brazil. She is a voluntary researcher at Nomads.usp.

Dyego Digiandomenico is Architect and researcher at the Post-graduate Program of the Institute of Architecture and Urbanism of the University of Sao Paulo, Brazil. He is a voluntary researcher at Nomads.usp.

Luciana Santos Roça holds a BA degree in Audiovisual and a Master degree in Architecture and Urbanism. She is a researcher at Nomads.usp, studying the use of sound interventions in urban spaces, seeking to integrate Sound Studies and Architecture disciplinary fields.


How to quote this text: Tramontano, M., Martins, M. J. S., Landim, G., Digiandomenico, D. and Roça, L., 2015. It’s parametrization, baby!. V!RUS, n. 11. [online] Available at: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus11/?sec=1&item=1&lang=en>. [Accessed: 24 September 2017].

The eleventh issue of V!RUS journal proposes an exercise of broadening the concept of parametrization from different theoretical and methodological approaches in different areas of knowledge. In order to implement this debate, we are pleased to present fifteen texts, fourteen of them in Portuguese and English and one in Spanish and English: an interview, nine articles selected among the submitted ones, one of them presented in the Project section, four free texts in the Carpet section, and one article written by Nomads.usp researchers. We are grateful to all thirty authors of the contributions that compose this edition, resulting from research carried out in ten countries institutions, for participating so generously of the dialogue proposed by Nomads.usp through its journal.

To discuss the concept of parametrization, we received the philosopher Ruy Sardinha Lopes for a conversation with Marcelo Tramontano, the V!RUS journal editor-in-chief. The interview Parametrization as mediation, or man and his fate offers a historical perspective from ancient Greece to the present day, showing the movements of human thought facing the dilemma between control and chance, and the parameterization as perhaps an eternal human quest for mathematizing nature and the world to intervene in it.

Four texts propose theoretical discussions and criticism on issues related to parameterization. In Data aesthetics and the role of narration in generative artefacts, Luiz Gustavo Zanotello discusses different narrative aspects inherent to generative devices, and explores their role as evidence of ontological speculation of these artifacts, from the concepts of Bruno Latour's actor-network theory and of Graham Harman's ontology oriented to objects; in The Parametricism manifest: prospects about a "new global style" for architectural design and urban planning, Rodrigo Scheeren and Daniel Costa Lima propose a reflection that seeks to explain and deepen the theoretical discourse of parametricism, its proposals, concepts and techniques in addition to its position among others manifests in history; in Clichés and intentions: reflections on the creative process in the digital environment, Aura Celeste Cunha and Ney Dantas seek to sketch a parallel between analogue and digital, in art and architecture, by a critical reflection about digital environment in the creation process, and potential research methods on creative processes. Finaly, in How cybernetic is parametrization?, the Nomads.usp researchers Anja Pratschke and Mariah Di Stasi expose theories situated in the parametric design background, as well as necessary principles, advantages and fields of knowledge to dominate ways of doing or to design by code.

In the Architecture and Design areas, three texts explore the subject of design teaching and academic research from a parametric approach, its challenges and contributions: Henriette Bier's, focuses the Dutch context, Reflections on the introduction of parametric thinking into design education, by Neliza Romcy, Marcelo Tinoco and Daniel Cardoso, considers northeastern Brazilian context, and Using Rich-Prospect Browsing for design scenarios conversation, by Celso Scaletsky, Stan Ruecker and William Meyer presents an experience in southern Brazil. As a common plea, these texts identify the need to build new methods to teach and develop research in architecture and design by parametric processes.

In the urban scale, Carlos Vanegas presents the text Inverse Design of Urban Procedural Models, in which he discusses the procedural modeling of urban as a counterpoint to conventional modeling techniques of streets, plots, buildings and facades using the parametrization to extend the possibilities to anticipate events and to conceive urban planning interventions.

At the intersection of urban planning, parametrization, audiovisual and society, the text Mapping the Urban Commons: a Parametrical and Audiovisual Method presents a project which brings together researchers from different countries around the mapping of urban commons. The text was written by Pablo de Soto (Rio de Janeiro, Brazil), Daphne Dragona and Demitri Delinikolas (Athens, Greece), Aslihan Senel (Istanbul, Turkey) and José Pérez de Lama (Sevilla, Spain).

Within musical research, the text What is cognitive parametric music?, by Fernando Egido, discusses how parametrization changes compositional processes and ways to perceive and understand sound phenomena and, in particular, musical ones.

Pointing out challenges and perspectives in the field of digital manufacturing of biomaterials and human tissue cells, the text Biomanufacturing and its strategies, by Janaína Dernowsek, Rodrigo Rezende and Jorge Lopes da Silva, approaches 3D printing of virtual and physical models which incorporate biological concepts.

The use of parametrization in technical and constructive universe is approached in three articles, two out of them addressing specific issues: Automating the rationalized masonry project, by Levi Pinheiro, Daniel Cardoso and Alexandre Bertinio, and Parameterization applied to building energy performance, by Joyce Carlo. The authors argue that parametrization can provide a systemic view of both project and construction processes, resulting in greater efficiency. The text Digital Techne, by Santiago Albarracin, presents the parametrization usage modes aiming at the realization of architectural objects in some architectural offices from different countries.

We are also pleased to inform our readers that, from the next edition, the journal's frequency will return to semiannual, with the launch of V!RUS 12 scheduled for July 2016, and that of V!RUS 13 scheduled for December 2016. We wish you all good reading, good debate, good reflections.