TÍTULO DO ARTIGO

MARCELO TRAMONTANO _ ANJA PRATSCHKE _ PEDRO LUÍS ALVES VELOSO _ ANELISE VENTURA

 

Como citar esse texto:   Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus09/?sec=1&item=1&lang=pt>. Acesso em: 17 Out. 2018.

 

Ao apresentar essa nona edição da VIRUS, informamos aos nossos leitores que, a partir da presente edição, a V!RUS será publicada anualmente.

Com o aumento constante da população urbana no mundo contemporâneo, concomitante à consolidação de uma infraestrutura comunicacional que redefine conexões e fronteiras, a cidade enquanto tema de reflexão adquire renovado interesse. Sua crescente complexidade e seu caráter mutável encontram correspondência na tessitura de múltiplos olhares e vivências que buscam desvendá-la: a cidade construída a partir da interação e da experiência das pessoas em seus espaços concretos e virtuais; a cidade como organismo em crescimento, como palimpsesto em contínua formação; a cidade como locus e processo de reprodução do capital; a cidade como paisagem de dados suscetível às técnicas estatísticas, entre inúmeras outras possibilidades. Essa convergência de olhares reflexivos fundamenta essa nona edição da V!RUS, e a pergunta que lançamos aos nossos colaboradores: como os diferentes campos disciplinares apreendem a cidade contemporânea?

O tema não apenas reitera a aposta da revista de consistir em uma plataforma de intersecção de diferentes trajetórias e pensamentos sobre questões emergentes, já que, em todas as edições anteriores, os múltiplos olhares dos autores orbitam em torno de alguma indagação comum. Mas, para além de uma convergência de abordagens urbanas, almejamos examinar, com o tema “A cidade e os outros”, a própria reflexão sobre o ato de olhar a cidade, seja como um olhar consciente de si ou como a conscientização de outros olhares possíveis.

Em poucos dias, recebemos a submissão de quase quarenta artigos, tratando das mais diversas questões, assinados por pesquisados de variados campos disciplinares, de diferentes lugares.  Consequentemente, fizemos um tremendo esforço editorial para balancear a originalidade de suas respostas com um compromisso para manter a coerência temática e respeitar o limite de espaço disponível. Como resultado, organizamos 19 artigos, sendo 7 submetidos, 11 convidados e 1 artigo de pesquisador do Nomads.usp, que busca exemplificar a maneira como o Núcleo tem lidado com o tema.

Temos três convidados especiais. Monika Fleischmann e Wolfgang Strauss, do Fraunhofer Institut, Alemanha, discutem possibilidades de a arte revelar uma cidade em princípio invisível, a partir da participação e da interação das pessoas com fluxos de informação. Por sua vez, o urbanista Lineu Castello, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, compreende o convívio interpessoal como exercício da urbanidade que promove apropriações e usos inesperados da cidade, gerando e reativando seus lugares públicos. A breve descrição da contribuição dos três pesquisadores revela, entre os olhares da arte midiática e da análise urbana, intersecções sobre o papel da performance dos habitantes da cidade na sua produção. Tanto os trabalhos submetidos quanto aqueles enviados por todos os nossos convidados contribuem para a formulação desse e de outros entrecruzamentos. Eles apresentam reflexões pautadas nas histórias em quadrinhos, na lógica dos documentários, na sociologia, na psicologia, na antropologia, nos territórios sonoros, nas ações urbanas, na arte pública, no marketing territorial, no projeto participativo e nas atividades comerciais.

Foi também durante esse processo editorial que vivenciamos momentos marcantes de tensão entre a cidade e os outros, quando das diversas manifestações públicas que, inicialmente, contestavam o aumento da tarifa dos transportes públicos e que se propagaram no território brasileiro, abrangendo outras pautas e debates. Impulsionada pelo uso intenso das redes sociais na internet, essa propagação surpreendeu a todos pela participação ampla da sociedade e por ter se submetido a constantes e, por vezes, violentos conflitos com uma polícia tão desproporcionalmente militarizada quanto despreparada para lidar com a expressão de descontentamentos da sociedade civil em lugares públicos. Se, por um lado, a ocupação da cidade parecia despertar a possibilidade de uma coesão política, de ação legitima e efetiva sobre muitas distorções da sociedade brasileira, por outro, desdobrou-se, também, em conflitos internos entre manifestantes de posturas e demandas irreconciliáveis. Frente a esses instantâneos de um espaço político, convidamos Sonia Fleury, da Fundação Getúlio Vargas, para discutir essa aglomeração de olhares sobre a cidade, buscando revelar alguns de seus aspectos e características.

Por fim, os múltiplos olhares aqui expostos contribuem para a contínua e necessária tessitura de reflexões sobre o fenômeno das cidades contemporâneas. Esperamos que as ideias aqui publicadas sejam um estímulo para a complexização e adensamento de nossas relações com a cidade, e que nossos leitores desfrutem das muitas intersecções, nós, fios e amarrações dessa trama.

Figura 01: Imagem produzida a partir do mapa rodoviário de São Paulo (2002) (Fonte:http://www.sp-turismo.com/imagens/mapa/sp.pdf. Acesso em 12/09/2013)

Figura 02: Imagem produzida a partir do mapa de sistema de transporte de São Paulo (2007) (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 03: Imagem produzida a partir do mapa de maciços de solo e rocha de São Paulo. (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 04: Imagem produzida a partir do mapa de valor do solo urbano de São Paulo (2005). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 05: Imagem produzida a partir do mapa de área urbanizada do município de São Paulo segundo períodos de expansão (1881-2002). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 06: Imagem produzida a partir do mapa de área urbanizada de São Paulo segundo períodos de expansão (1881-2002). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 07: Imagem produzida a partir do mapa de domicilios de são Paulo segundo padrão de renda e conforto (2000). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 08: Imagem produzida a partir do mapa de bacias hidrograficas (2012). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 09: Imagem produzida a partir do mapa de declividade de São Paulo (2002). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

Figura 10: Imagem produzida a partir do mapa hipsométrico de São Paulo (2008). (Fonte: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acesso em 10/09/2013)

TÍTULO DO ARTIGO

MARCELO TRAMONTANO _ ANJA PRATSCHKE _ PEDRO LUÍS ALVES VELOSO _ ANELISE VENTURA

 

How to quote this text:   [online] Available at: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus09/?sec=1&item=1&lang=en>. [Accessed: 17 October 2018].

 

In presenting this ninth issue of V!RUS, we inform our dear readers that, from this edition, our journal will be published once a year.

With the steady increase of the urban population in the contemporary world, concomitant with the consolidation of a communication infrastructure that redefines boundaries and connections, the city as a subject of reflection acquires renewed interest. Its increasing complexity and changing nature find a match in the fabric of multiple perspectives and experiences that seek to unravel it: a city built from the interaction and experience of people in their concrete and virtual spaces, the city as a growing organism or  as a palimpsest in continuous formation, the city as locus and process of reproduction of capital, the city as a data landscape susceptible to statistical techniques, among countless other possibilities. This convergence of reflexive glances supports this ninth edition of V!RUS, and the question we put to our collaborators: how different disciplines perceive the contemporary city?

This theme not only reaffirms the commitment of the academic journal to create a platform of intersection of different trajectories and thoughts on emerging actual issues.  As in all previous editions, the multiple perspectives of the authors revolve around some common inquiries. But, in addition to a convergence of urban approaches, we wish to examine, with the theme "The city and the other", the very reflection on the act of looking at the city, as a self-conscious observation or as awareness of other possible viewpoints.

Within days, we received the submission of nearly forty articles, dealing with several issues, signed by researchers of different disciplines, from different places. Consequently, we have made a tremendous effort to balance editorial originality of their answers with a commitment to maintain the thematic coherence and respect the limits of available space. As a result, we organized 19 articles, 7 of which were submitted, 11 guests and 1 article by a researcher from Nomads.usp, that seeks to illustrate how the Research Center is dealing with the subject.

We have three special guests.  Monika Fleischmann and Wolfgang Strauss, Fraunhofer Institut, Germany, discuss possibilities for the art to reveal a city normally invisible through the participation and interaction of people with information flows.  In turn, the urbanist Lineu Castello,  Federal University of Rio Grande do Sul, comprehends the interpersonal interaction as an exercise of urbanity that provides the appropriations and unexpected uses of the city, generating and reactivating its public places. A brief description of the contribution of the three researchers reveals, between the eyes of media art and urban analysis, intersections on the role of the performance of the townspeople in their production. Both papers submitted as those sent by all our selected authors contribute to the formulation of this and other intersections. They present urban reflections supported by comic strips, by documentary movies production, by sociology, by psychology, by anthropology,  by sonic territories and public art experiments, by territorial marketing, by participatory design  and by the analysis of commercial activities

It was also during this editorial process Brazil has experienced moments of tension between the city and the other, when the various public events that initially challenged in São Paulo the increased rate of the ticket of public transport and which spread throughout Brazil, including other agendas and debates. Driven by intense use of social networks on the Internet, this spread has surprised everyone by broad participation of society and have undergone constant and sometimes violent conflicts with a militarized police who reacts disproportionately and is as unprepared to deal with the expression of discontent of the civil society expressed in public places. If, on the one hand, the occupation of the city seems to awake the possibility of political cohesion, legitimate and effective action on many distortions of Brazilian society, on the other hand, unfolded also in internal conflicts between protesters with irreconcilable postures and demands. Facing these snapshots of a political space, we have invited Sonia Fleury, of the Getulio Vargas Foundation, to discuss in an interview the agglomeration of various looks over the city, seeking to reveal some of its features and characteristics.

Finally, the multiple looks shown here contribute to the continued and necessary fabric of reflections on the phenomenon of contemporary cities. We hope the ideas posted here are a stimulus for the complexity and consolidation of our relations with the city, and that our readers enjoy the many intersections, nodes, wires and lashings of this plot.

Figure 01: Image created from the road map of the state (2002) (Source:http://www.sp-turismo.com/imagens/mapa/sp.pdf. Acessed 09/12/2013)

Figure 02: Image created from the transport system map of São Paulo (2007) (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 03: Image created from the map of rock and soil massifs of São Paulo (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 04: Image created from the urban land value map of São Paulo (2005). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 05: Image created from the map of the urbanized area of São Paulo second periods of expansion (1881-2002). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 06: Image created from the map of the urbanized area second periods of expansion (1881-2002). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 07: Image created from the map of income and living standard of housing in São Paulo (2000). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 08: Image created from the map of watersheds of São Paulo(2012). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 09: Image created from the slope map of São Paulo (2002). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)

Figure 10: Image created from the topographic map of São Paulo (2008). (Source: http://smdu.prefeitura.sp.gov.br . Acessed 09/10/2013)