Herança cultural e meios digitais: o percurso Nomads

Marcelo Tramontano, Anja Pratschke

Marcelo Tramontano é Arquiteto, Mestre, Doutor e Livre-docente em Arquitetura e Urbanismo, e Professor Associado do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Coordena o Nomads.usp e é Editor-chefe da revista V!RUS.

Anja Pratschke é arquiteta e Doutora em Ciência da Computação, professora e pesquisadora do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo e Co-coordenadora do Nomads.usp. Desenvolve e orienta pesquisas nas áreas de processos de design e comunicação em arquitetura.


Como citar esse texto: TRAMONTANO, M., PRATSCHKE, A. Herança cultural e meios digitais: o percurso Nomads. V!RUS, São Carlos, n. 16, 2018. [online] Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus16/?sec=6&item=1&lang=pt>. Acesso em: 19 Ago. 2019.


Resumo

Este ensaio relaciona os atuais interesses de pesquisa e interfaces do Nomads.usp com o tema "A construção da memória", através de uma breve leitura de trabalhos de pesquisa concluídos e em curso. Apesar de não ser conhecido como um grupo de pesquisa da subárea que lida especificamente com questões históricas e de patrimônio, um exame destas pesquisas desenvolvidas no Núcleo mostra que diversas delas abordam os temas da Herança Cultural e da Memória, e várias participam do esforço de construção de bases históricas sobre Arquitetura e Urbanismo no Brasil. O texto propõe uma categorização temática a partir de assuntos tratados em pesquisas individuais, e apresenta brevemente projetos transversais relacionados com esses temas, assim como seus princípios metodológicos.

Palavras-chave: Pesquisa acadêmica, Herança cultural, Meios digitais, Memória, Nomads.usp


1 Introdução

Desde sua criação, em julho de 2000, o Nomads.usp tem pautado o desenvolvimento de suas pesquisas na busca de compreensões holísticas de seus objetos de estudo. Essa busca apoia-se em um tripé teórico-conceitual formado, principalmente, pelas noções de sistema, transdisciplinaridade e práxis. Dito de forma brevíssima, dados os limites e objetivos deste ensaio, os objetos de estudo são entendidos como partes de sistemas maiores, cujas dinâmicas e funcionamento são observados com o auxílio de lentes advindas de diversos campos disciplinares, o que pressupõe a participação de múltiplos atores - inclusive não-acadêmicos - em processos colaborativos teórico-práticos de produção de conhecimento. Tal postura visa, por um lado, ampliar e enriquecer os procedimentos metodológicos de pesquisa e projeto, próprios à Arquitetura e ao Urbanismo, e, por outro, constituir um locus de interlocução entre áreas do conhecimento, e entre universidade e comunidade. O solo comum onde repousa este tripé é a mediação digital, explorada de diversas maneiras, tanto pelo uso de programas computacionais e ambientes digitais, como por processos de comunicação e de projeto digitalmente mediados, ou, ainda, pela formulação participativa de políticas públicas e processos produtivos.

Nesta edição da revista V!RUS, criada e editada coletivamente pelo Nomads.usp visando ampliar a discussão sobre seus temas de pesquisa, este texto busca contextualizar os atuais interesses e interfaces do Núcleo sobre o tema "A construção da memória", através de uma breve leitura da parcela de seus trabalhos que com ele se relaciona. Assim, apesar de o Nomads.usp não ser conhecido como um grupo de pesquisa pertencente à subárea que lida especificamente com questões históricas e de patrimônio, um exame das pesquisas em curso ou já concluídas mostra que diversas delas abordam os temas da Herança Cultural e da Memória, e várias contribuem para o esforço de construção de bases históricas sobre Arquitetura e Urbanismo no Brasil. Algumas ideias principais, posturas e inquietações perpassam esse conjunto de trabalhos:

1.1 A contribuição de estudos históricos na compreensão da atualidade

Apesar de escolher priorizar problemáticas atuais, muitas pesquisas do Núcleo produzem estudos bastante amplos que reconstroem a historiografia de assuntos específicos, visando entender processos de projeto e de pesquisa, e possibilidades de intervenção na atualidade.

1.2 Meios digitais, para quê?

Percorrendo uma extensa gama de possibilidades, o emprego de meios digitais tem sido explorado em processos de organização da informação, documentação e registro do patrimônio material e imaterial, visualização de situações pretéritas, atuais e futuras, comunicação entre tomadores de decisão - incluindo a participação comunitária -, de criação de realidades efêmeras estimulando a reflexão e motivação dos participantes, e processos de projeto de intervenção em entornos existentes.

1.3 Quem decide o que deve ser lembrado?

Buscando reverter a lógica clássica das políticas de preservação brasileiras, segundo as quais uma grande maioria dos bens preservados é formada por exemplares religiosos - cristãos, em geral -, militares, e outros relacionados às classes dominantes de cada época - suas casas, escolas, comércios, entre outros -, o tema da participação comunitária em processos decisórios públicos, apoiados por meios digitais, tem despertado cada vez mais interesse dos pesquisadores do Nomads.usp.

Uma vez que estas preocupações não estão ausentes da maioria das demais pesquisas em curso ou já concluídas no Núcleo, a colaboração entre pesquisadores de áreas distintas é amplamente estimulada, encorajando-se transdisciplinaridade e emergências. O terreno por excelência onde esta interlocução ocorre são projetos transversais que reúnem várias pesquisas individuais, e objetivam resultados apenas possíveis de se obter através do trabalho coletivo. A ideia de práxis preside a formulação e realização de tais projetos, pois, neles, ações práticas e reflexões teóricas se interalimentam de forma contínua, frequentemente envolvendo pesquisadores acadêmicos de outros grupos e instituições, e também parceiros não-acadêmicos, como coletivos culturais, gestores públicos, comunidades e público em geral.

2 Categorizando pesquisas individuais

Um exame retrospectivo nos permite identificar a recorrência de algumas categorias, em torno das quais é possível agrupar os trabalhos de pesquisa relacionados com as temáticas aqui abordadas. Por suas especificidades e abrangência, alguns trabalhos costumam conectar-se a mais de uma categoria.

2.1 Herança cultural e meios digitais

A exploração do emprego de meios digitais variados em ações relacionadas à herança cultural inclui não apenas abordagens clássicas da área, como a documentação, visualização e valorização do patrimônio construído, mas também o estímulo à participação comunitária nos processos decisórios de preservação, e projetos de informação do público em geral. Os estudos envolvem a construção e uso de plataformas online, aplicativos e repositórios públicos e gratuitos, além de tecnologias específicas como QR Code, modelagem digital, recursos audiovisuais e de realidade aumentada.

2.2 Herança cultural e metateorias

Casos de estudo são examinados com auxílio das lentes das chamadas metateorias, que propõem abordagens sistêmicas e relacionais. Suas principais referências são a Teoria Geral dos Sistemas, de Ludwig Von Bertalanffy, os trabalhos sobre Transdisciplinaridade e Pensamento Complexo, de Edgar Morin (2005) e Basarab Nicolescu (1999), que estruturam a participação dos diversos agentes como atores de um sistema aberto à auto-organização e emergências; os princípios da Cibernética de Segunda Ordem relacionados à verificação da viabilidade do sistema de integração das partes e sua organização, formulados por Stafford Beer (1994); o apoio da Teoria da Conversação, de Gordon Pask (1975), que permite a observação de estruturas de relacionamentos entre disciplinas e as formas de colaboração; e a estruturação de diálogos proposta por Gregory Bateson (1972), que considera o pesquisador-observador - e também o cidadão-observador - parte ativa dos sistemas observados.

2.3 Contribuições para a pesquisa histórica em Arquitetura e Urbanismo no Brasil

Diversas pesquisas, algumas delas não diretamente relacionadas aos temas da Memória e da Herança Cultural, têm produzido extensas revisões históricas sobre assuntos variados de interesse da área de Arquitetura e Urbanismo. Destacam-se os estudos sobre modalidades habitacionais, assim como aqueles que procuram contribuir para uma historiografia em grande medida inexistente do uso de meios digitais em processos comunicacionais e de projeto, no Brasil.

2.4 Genealogias e bases de dados

As reflexões desenvolvidas em diversos trabalhos, em especial aqueles compreendidos no item 2.3, apenas são possíveis por contarem com bases de dados extensas e valiosas, em geral produzidas por pesquisadores graduandos de Iniciação Científica. Tais bases constituem genealogias e instantâneos sobre temas variados, como apartamentos paulistanos (informações textuais e peças gráficas de centenas de exemplares, desde 1908 até 2014, por década), desenvolvimento de meios de comunicação no Brasil (telefone, cinema, rádio, televisão, Internet, etc.), modos de vida e tendências comportamentais em São Paulo e no Brasil ao longo do século XX e primeira década do século XXI, condomínios horizontais fechados e suas referências históricas, design de mobiliário no Brasil e no Exterior, projetos de habitação para população de baixa renda na cidade de São Paulo, entre outros.

2.5 Memória e memorização

Finalmente, um conjunto de pesquisas produziu, nos primeiros anos de existência do Núcleo, bases teóricas importantes sobre técnicas e conceitos relativos à memória e a processos de memorização. Valorizados desde a Antiguidade clássica e durante todo o Medievo por seu caráter abrangente e transversal, estes conceitos e práticas foram perdendo importância frente à valorização renascentista da Razão, seguida pela instauração de um pensamento científico-tecnológico que prioriza, em última instância, valores racionais e utilitários, desde a Revolução Industrial até os nossos dias. O advento da Informatização, em meados do século XX, e a rápida consolidação da chamada Cultura Digital, simultaneamente à formulação de metateorias de caráter holístico, exigiram uma revisão da própria noção de memória, entendida agora, inclusive, de um ponto de vista computacional.

3 Projetos transversais

Enquanto territórios de interlocução entre pesquisas individuais, e entre Academia e Comunidade, os projetos aqui mencionados abordam os temas da Herança Cultural e da Memória em graus e modos variados. Agrupados neste ensaio sob o subtítulo de Projetos Transversais, eles constituem, no entanto, experiências muito distintas entre si de ação coletiva, tanto em sua natureza, como em sua abrangência, metodologia e duração.

3.1 Pinhal Digital

Realizado anualmente em cinco edições - 2003, 2004, 2005, 2006 e 2008 -, sob forma de curso de extensão, o Projeto Pinhal Digital foi uma experiência única, sugerida por uma peculiaridade da região de São Carlos, SP, que possibilitou reunir pesquisadores de universidades da região e proprietários e funcionários das Fazendas Pinhal e Santa Maria do Monjolinho em torno do registro e organização de informações do patrimônio material e imaterial dessas duas importantes fazendas. Cerca de cinquenta pessoas participaram de cada edição anual, envolvendo pesquisadores das áreas de Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Ciência da Informação, Cinema, Ciências Ambientais, Arqueologia e História. Dentre muitos benefícios, o projeto permitiu ao Nomads.usp produzir e sistematizar conhecimento sobre questões relacionadas à memória, memorização, organização e tecnologias da informação e comunicação, ampliação de procedimentos metodológicos e de gestão, e processos educacionais. Também abriu caminhos para que pesquisadores graduandos e pós-graduandos se interessassem em desenvolver pesquisas sobre patrimônio e meios digitais no Núcleo, estimulando e viabilizando a colaboração com professores e grupos de pesquisa de outras áreas, e, inversamente, a participação de pesquisadores do Núcleo em projetos de outros grupos e instituições. O curso e, especialmente, seu método transdisciplinar, elaborado e refinado conjuntamente ao longo de suas cinco edições, foi extensamente divulgado em palestras e congressos de diversas áreas, com destaque para sua boa acolhida no II Congresso Mundial de Transdisciplinaridade, em setembro de 2005.

A proposta geral do projeto extrapolou os objetivos iniciais de modelagem digital e informacional do patrimônio construído, passando a incluir o estudo dos modos de vida de seus habitantes e usuários, segundo uma perspectiva histórica. Sua concepção visava formar o participante, o pesquisador, o designer da experiência e da interface computacional, e também o usuário que interagisse com tal interface, aprendendo sobre e com o patrimônio. O Projeto Pinhal Digital permitiu, ainda, a aplicação, avaliação e refinamento de metodologias variadas, empregadas, posteriormente, em outros projetos de pesquisa do Nomads.usp. Talvez seu aspecto mais enriquecedor tenha sido, de fato, o encontro de metodologias específicas de diferentes áreas, trazidas por pesquisadores com variadas formações, contribuindo para uma diversidade de olhares sobre um mesmo objeto. Os embates entre eles, as necessárias reorganizações e bem-vindas emergências, as discussões visando acordos e objetivando alcançar objetivos comuns, constituíram uma densa experiência prática de Complexidade e Cibernética.

3.2 Memória Digital de São Carlos

Realizado entre os anos de 2004 e 2007, este projeto de pesquisa em Políticas Públicas inter-áreas foi coordenado pelo Prof. Titular Dr. José Carlos Maldonado, do Instituto de Ciências Matemáticas e Computação, da Universidade de São Paulo, com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP. O município de São Carlos e região apresentava então uma diversidade de acervos de inestimável valor histórico, os quais contêm documentos de natureza variada, de grande importância para a construção da memória do município, assim como de aspectos relevantes da própria história do Brasil. Atualmente, esses acervos, bem como grande parte dos acervos brasileiros, encontram-se em estado precário de conservação, e muitos são ainda desconhecidos até mesmo por pesquisadores das áreas afins. No início dos anos 2000, diversos esforços coletivos isolados, tanto públicos quanto privados, visaram organizar tais acervos e disponibilizá-los a pesquisadores e ao público em geral.

O Projeto Memória Digital de São Carlos teve como objetivo principal o desenvolvimento de um sistema web-based capaz de tratar, armazenar e disponibilizar publicamente informações de acervos especiais de bibliotecas, museus e arquivos públicos, além de informações sobre bens arquitetônicos e naturais da cidade e região. Esse sistema incluiu os seguintes conjuntos de informação: acervos documentais, coleções bibliográficas, objetos museológicos, bens arquitetônicos, bens naturais, e documentos multimeios. Tanto o processo de desenvolvimento como o sistema web-based resultante pautaram-se pela ideologia de software livre, visando motivar entidades locais, como prefeituras, fazendas, associações civis, entre outras, a também fazer uso desse sistema, com baixo custo de implantação, disponibilizando seus acervos à comunidade em geral. Através dos mecanismos propostos, visava-se construir um sistema distribuído capaz de integrar e disponibilizar publicamente acervos nos âmbitos municipal, regional, estadual e nacional. Foi produzida uma base universal de registro, acessível através de um portal digital online, implementada e validada na Fundação Pró-Memória de São Carlos, na biblioteca da Fazenda Pinhal, e em museus da cidade.

3.3 Percursos Virtuais

Coordenado pela Profa. Dra. Anja Pratschke e vigente desde 2017, o projeto de pesquisa e extensão "Percursos virtuais: colaboração em narrativas do patrimônio cultural de São Carlos, SP" resulta de uma demanda específica da Fundação Pró-memória de São Carlos, ligada à Coordenadoria de Artes e Cultura da Prefeitura Municipal de São Carlos. No âmbito do Nomads.usp, ela é financiada pela CAPES, FAPESP e PUB-USP, como parte de uma pesquisa de Doutorado e duas pesquisas de Iniciação Científica, respectivamente. O projeto visa explorar o emprego de tecnologias de informação e comunicação no levantamento e publicização do patrimônio material e imaterial da cidade de São Carlos, mais precisamente o uso combinado da tecnologia de QR Code e plataformas online, na construção de interfaces interativas e colaborativas de registro do patrimônio cultural da cidade. Deste modo, espera-se que usuários finais possam obter informações sobre edifícios e seus componentes através de leituras de QR Codes a eles associados, que remetem a informações disponíveis em um website especialmente desenhado.

3.4 Olhares de Brotas

Este projeto de Educação Patrimonial, em curso, aborda processos de renovação do olhar dos moradores da cidade de Brotas, SP, sobre edificações com relevância histórica de sua cidade. Trata-se de uma parceria do Nomads.usp com a Diretoria de Cultura de Brotas e a Escola Municipal Álvaro Callado, no âmbito de uma pesquisa de Doutorado financiada pela CAPES, apoiada por três pesquisas em Iniciação Científica financiadas pela FAPESP. Ele visa contribuir para a construção coletiva de valores que auxiliem o reconhecimento da importância de exemplares do patrimônio urbano, espontaneamente atribuída pelos habitantes e não necessariamente por órgãos de preservação, poder público local ou instituições de pesquisa. Para isso, processos formativos de leitura urbana e expressão são organizados no formato de oficinas com setores da comunidade, nas quais são produzidos mapeamentos cognitivos. A partir da leitura visual de diversos aspectos que compõem a ambiência arquitetônica da cidade, os mapeamentos são construídos por meio de fotocolagens digitais.

Mais do que produzir representações do espaço físico, esse processo de sobreposição e justaposição de imagens permite retratar graficamente aspectos subjetivos da percepção de cada observador. O primeiro conjunto de oficinas foi realizado em fevereiro e abril de 2018, finalizando-se com uma exposição itinerante das fotocolagens em grande formato, inaugurada na praça principal da cidade.

3.5 Frontier Zones

O projeto Frontier Zones, em curso, decorre do interesse do Núcleo em ampliar as formas de expressão de uma dada comunidade, e aloja-se em um conjunto de iniciativas do Nomads.usp visando explorar a linguagem audiovisual e suas possibilidades narrativas. Fruto de uma parceria entre o Nomads.usp e pesquisadores das universidades alemãs Leuphana e Hafencity, e co-financiado pela agência alemã DAAD e pela CAPES, o projeto objetiva produzir leituras e expressões de dinâmicas urbanas através do uso do audiovisual e, em particular, do filme documentário. O processo de realização dos filmes é utilizado como meio de aproximação de realidades urbanas, a partir da seleção de temas a serem investigados em uma dada área da cidade. Dentre as várias ações realizadas até aqui, no Brasil e na Alemanha, destacam-se dois workshops, cada um com duração de quinze dias, reunindo especialistas e participantes selecionados de diversas áreas, de várias instituições de pesquisa dos dois países.

Além de diversos filmes de curta duração, o projeto produziu um repositório digital online de acesso público onde tanto o material bruto de gravação de imagem e som, como os filmes finais, estão disponíveis gratuitamente, ao lado de todas as gravações e filmes dos demais projetos audiovisuais do Núcleo. Dentre eles, o documentário Re:cordis (2017), produzido no âmbito da pesquisa de Iniciação Científica DocCidade (<https://bit.ly/2JYASbY>), financiada pela FAPESP, relaciona-se diretamente com a temática da construção da memória.

4 Conclusões

No Brasil atual, os estudos sobre Patrimônio Histórico parecem concentrar-se, basicamente, nas temáticas de gestão do patrimônio, repertoriamento e documentação de bens, técnicas de conservação e restauro, e políticas de preservação. Grupos de pesquisa, instituições públicas e empresas privadas vêm produzindo uma grande diversidade de trabalhos, muitos deles de excelente qualidade e absolutamente necessários, em um país onde a cultura de preservação e valorização da herança cultural material e imaterial pelo cidadão comum ainda engatinha. Entendemos que a recente conscientização de parcelas da população sobre a importância de se preservar expressões culturais se deve, em grande parte, ao projeto político descentralizador previsto na Constituição de 1988 e impulsionado, a partir de 2003, com a implementação de facto do Sistema Nacional de Cultura em todo o país, que buscou inverter a lógica, até então vigente, que priorizava a valorização de expressões culturais das classes dominantes.

O caminho de aproximação a esta subárea, trilhado pelo Nomads.usp, deriva de estudos sobre e apoiados por teorias sistêmicas, projetos visando a participação de comunidades locais em processos decisórios públicos, pesquisas sobre ações culturais e formulação de políticas públicas culturais, tendo como denominador comum o uso de meios digitais. Na intersecção entre estes temas, há ainda processos de grande complexidade a serem estudados e implementados, que visam, em última instância, a inclusão da memória e da herança cultural no entendimento do comum, como princípio democrático, coletivo e, portanto, político, na potente acepção proposta por Laval e Dardot (2017).

Dentre as muitas demandas e desafios atuais desta subárea, o Núcleo interessa-se, atualmente, em formular e desenvolver pesquisas que dêem continuidade ao caminho aqui apresentado, particularmente sobre os seguintes assuntos:

a. Realidade aumentada e herança cultural;

b. Filme documentário e construção da memória;

c. Organização sistêmica da informação e comunicação: técnicas e métodos;

d. Gestão e educação patrimonial;

e. Participação cidadã em processos decisórios de preservação;

f. Cidades, entornos históricos e processos de gentrificação.

Referências

BATESON, G. Steps to an ecology of mind: collected essays in anthropology, psychiatry, evolution, and epistemology. San Francisco: Chandler, 1972.

BEER, S. Beyond dispute: the invention of team syntegrity. Chichester: John Wiley, 1994.

LAVAL, Ch.; DARDOT, P. Comum: ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Boitempo, 2017.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Tradução de Eliane Lisboa. 5a. edição. Porto Alegre: Sulina, 2005.

NICOLESCU, B. O manifesto da transdisciplinaridade. Tradução de Lúcia Pereira de Souza. São Paulo: Triom, 1999.

PASK, G. Conversation cognition and learning. Amsterdam: Elsevier, 1975.

APÊNDICE

1 PROJETOS TRANSVERSAIS

1. Pinhal Digital

2. Memória Digital de São Carlos.

3. Percursos Virtuais

4. Olhares de Brotas

5. Frontier Zones

6. Re: cordis. Audiovisual documentary. 9 min. 2017. Financing: FAPESP. Available at: <https://bit.ly/2K1gbMK>. Accessed on 18 Jun. 2018.

2 PESQUISAS INDIVIDUAIS CONCLUÍDAS

2.1 LIVRE-DOCÊNCIA

1. Marcelo Tramontano. SQCB: Apartamentos e modos de morar na cidade de São Paulo. 2004. Tese (Livre-docência em Arquitetura e Urbanismo). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2.2 DOUTORADO

1. Marcelo Tramontano. Novos modos de vida, novos espaços de morar - Paris, São Paulo, Tokyo: uma reflexão sobre a habilitação contemporânea. 1998. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Orientadora: Suzana Pasternak Taschner. Bolsista CNPQ SANDWICH.

2. Anja Pratschke. Entre mnemo e locus: arquitetura de espaços virtuais, construção de espaços mentais. 2002. Tese (Doutorado em Ciência da Computação). Instituto de Ciências Matemáticas e Computação, Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Orientador: Edson dos Santos Moreira. Bolsista FAPESP.

2.3 MESTRADO

1. Simone Villa. Apartamento metropolitano: habitações e modos de vida na cidade de São Paulo. 2002. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de São Paulo, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP.

2. Denise Monaco dos Santos. Atrás dos muros: unidades habitacionais em condomínios horizontais fechados. 2002. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de São Paulo, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista CAPES.

3. Rodrigo Peronti Santiago. Memória e patrimônio cultural em ambientes virtuais. 2007. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista FAPESP. Disponível em: https://bit.ly/2yku9EQ>. Acesso em: 18 jun. 2018.

4. Renata la Rocca. Arte da memória e Arquitetura. 2007. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista CAPES.

5. Fábio Abreu de Queiroz. Apartamento modelo: arquitetura, modos de morar e produção imobiliária na cidade de São Paulo. 2008. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista CAPES.

6. Cynthia Nojimoto. Design para experiência: processos e sistemas digitais. 2009. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP.

7. Felipe Anitelli. Como nasce um modelo: o projeto de apartamentos na cidade de São Paulo. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP.

8. Elza Luli Miyasaka. Re:visão: Habitar nos anos 1960. 2011. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientador: Anja Pratschke. Bolsista CAPES.

9. Sandra Schmitt Soster. Missões Jesuíticas como sistema. 2014. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientador: Anja Pratschke. Bolsista FAPESP.

2.4 INICIAÇÃO CIENTÍFICA

1. Fernando Atique. Evolução da habitação para população de baixa renda na região da cidade de São Paulo. 1996. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FIPAI.

2. David Moreno Sperling. Habitação Social na França: evolução recente e propostas atuais. 1997. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista CNPQ.

3. Janice Kirner. Apartamento paulistano: cem anos depois.. 2001. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP.

4. Ricardo Sposito. Memorização e Arquitetura. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista CNPQ.

5. Ana Paula Siluk. Novas mídias e espaço doméstico: levantamento e caracterização. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP. Disponível em:https://bit.ly/2M1aPOU>. Acesso em: 18 jun. 2018.

6. Lisandra dos Santos Casagrande. O patrimônio histórico e cultural e as novas mídias. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Escola de Engenharia de São Carlos. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista FAPESP. Disponível em: <https://bit.ly/2tet1h5>. Acesso em: 18 jun. 2018.

7. Nathália Chagas. 2012. Arranjos familiares recentes: Brasil, 1990-2012. Iniciação Científica (Graduando em Arquitetura e Urbanismo). - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Bolsista FAPESP. Disponível em: <https://bit.ly/2GpEXFb>. Acesso em: 18 jun. 2018.

8. Victor Borin. DocCidade: leitura de espaços urbanos híbridos, o documentário como método. 2017. Iniciação Científica (Graduando em Imagem e Som) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP. Disponível em: <https://bit.ly/2JYASbY>. Acesso em: 18 jun. 2018.

9. Maria Clara Cardoso. Levantamentos e leituras de estudos de casos sobre a inserção de recursos digitais na gestão e preservação do patrimônio. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista FAPESP. Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/wp/patrimoniodigital/>. Acesso em 18 jun. 2018

3 PESQUISAS INDIVIDUAIS EM ANDAMENTO

3.1 DOUTORADO

1. Jessica Aline Tardivo. Preservação como sistema: o caso de Brotas. Início: 2015. Tese (Doutorado em Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista CAPES. Disponível em: <https://bit.ly/2t77art>. Acesso em: 18 jun. 2018.

2. Sandra Schmitt Soster. Patrimônio Cultural Colaborativo. Início: 2016. Tese (Doutorado em Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista CAPES. Disponível em: <https://bit.ly/2I1rpvH>. Acesso em: 18 jun. 2018.

3.2 INICIAÇÃO CIENTÍFICA

1. Maria Vitoria do Nascimento Inocencio. Uso do Qr Code e conteúdos vinculados para herança cultural: o caso da Estação Ferroviária e vizinhança de São Carlos. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciência da Computação) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientadora: Anja Pratschke. Bolsista PUB-USP.

2. Bruno Longhi Simões Seri. Compartilhando decisões: interfaces digitais para participação comunitária. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Engenharia de Produção) - USP - Instituto de Arquitetura e Urbanismo. Orientador: Marcelo Tramontano. Bolsista FAPESP.

4 PUBLICAÇÕES

4.1 ARTIGOS COMPLETOS EM PERIÓDICOS

1. SOSTER, S. S. ; PRATSCHKE, A. Tecendo a cidade: a quem cabe a decisão de preservar?. VIRUS, v. 14, p. 1-9, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2MA51Nc>. Acesso em: 18 jun. 2018.

2. TARDIVO, J. A. ; PRATSCHKE, A. Educação e memória: métodos e experiências digitais.. VIRUS, v. 15, p. 1-14, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2JXUwS9>. Acesso em: 18 jun. 2018.

3. TARDIVO, J. A. ; PRATSCHKE, A. Cidade como lugar de memórias. Revista Memória em Rede, v. 8, p. 3-21, 2016. Disponível em: <https://bit.ly/2ljONvc>. Acesso em: 18 jun. 2018.

4. ANITELLI, F. ; TRAMONTANO, M. Construir, legislar, burlar: edifícios de apartamentos em São Paulo, 1920-1957. Arquitextos (São Paulo), v. 1, p. 1, 2012. Disponível em: <https://bit.ly/2tl8NBh>. Acesso em: 18 jun. 2018.

5. ANITELLI, F. ; TRAMONTANO, M. Edifícios de apartamentos, São Paulo, anos 1950: mercado imobiliário e (um pouco de) arquitetura. Pós. Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAU-USP, v. 19, p. 66-81, 2012. Disponível em: <https://bit.ly/2JRx4tG>. Acesso em: 18 jun. 2018.

6. ANITELLI, F. ; TRAMONTANO, M. Café e modernização em São Paulo: verticalização da cidade no começo do século XX.. Cadernos do PROARQ (UFRJ), v. 16, p. 71-82, 2011. Disponível em: <https://bit.ly/2K4gg1S>. Acesso em: 18 jun. 2018.

7. SANTIAGO, R. P. ; PRATSCHKE, A. Memória e patrimônio cultural em ambientes virtuais. Leopoldianum (UNISANTOS), v. 35, p. 27-42, 2009.

8. TRAMONTANO, M. Apartamentos em São Paulo: brevíssimo exame de uma história controversa. AU. Arquitetura e Urbanismo, v. abril, p. 68-71, 2006. Disponível em: https://bit.ly/2K4fh1G>. Acesso em: 18 jun. 2018.

9. TRAMONTANO, M. Alice no país da especulação imobiliária: habitação e modos de vida na cidade de São Paulo. Cidades. Comunidades e Territórios, Lisboa, Portugal, v. 6, p. 75-82, 2003. Disponível em: <https://bit.ly/2liaQm0>. Acesso em: 18 jun. 2018.

10. TRAMONTANO, M.; SANTOS, D. M. Condomínios fechados: um olhar arquitetônico.. Revista AAI, Porto Alegre, v. 1, 2001. Disponível em: <https://bit.ly/2llkdl0>. Acesso em: 18 jun. 2018.

11. VILLA, S. ; TRAMONTANO, M. Apartamento metropolitano: uma tipologia em evolução. Revista da Universidade de Franca, Franca, n.8, p. 21-24, 1999.

4.2 LIVROS PUBLICADOS

1. TRAMONTANO, M. (org.) Belém FluXos: a orla como interface. São Carlos/Belém: IAU-USP, 2015. 100p.

2. TRAMONTANO, M. Habitação Moderna: a construção de um conceito. São Carlos: EESC-USP, 1993. 71p.

4.3 CAPÍTULOS DE LIVRO

1. PRATSCHKE, A. Arquitetura para Memória. In: Artur MATUCK; Jorge Luiz ANTONIO. (Org.). Artemídia e Cultura Digital. São Paulo: Musa Editora, 2009, v. 1, p. 203-218.

2. PRATSCHKE, A.; BORTOLUCCI, M. A. ; COSTA, L. S. F. . Pinhal Digital: Uma experiência de transdisciplinaridade. In: Nídia Pavan Kuri, Antônio Nélson Rodrigues da Silva. (Org.). O ensino no Campus USP São Carlos, Inovações e Inovadores. São Carlos: CETEPE-USP, 2006, v. 1, p. 67-86. 4.4 TRABALHOS COMPLETOS EM ANAIS DE CONGRESSOS

1. TARDIVO, J. A. ; PRATSCHKE, A. Reflexões sobre as Políticas e Ações de Educação Patrimonial no Brasil como Instrumento para Formação Cultural.. In: I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural, 2017, Cuiabá. I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural. Cuiabá: Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural, 2017. v. 1. p. 1-14.

2. TRAMONTANO, M.; NOJIMOTO, C. ; PERDIGÃO, A. K. TrapiXe: the site as a parameter. In: XVIII SIGRADI Congresso da Sociedade Ibero-americana de Gráfica Digital, 2014, Montevideo. Design in freedom, 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2I0YtDY>. Acesso em: 18 jun. 2018.

3. SOSTER, S. S. ; PRATSCHKE, A. Sistema de preservação do patrimônio missioneiro: o uso de mídias digitais para dissipar fronteiras geográficas. In: SIGRADI 2014 - XVIII Congresso da Sociedade Iberoamericana de Gráfica Digital, 2014, Montevideo. SIGRADI 2014 - XVIII Congresso da Sociedade Iberoamericana de Gráfica Digital. Montevideo: Universidad Nacional de Uruguay, 2014. v. 1. p. 461-465. Disponível em:< https://bit.ly/2M53pK>l. Acesso em: 18 jun. 2018.

4. SOSTER, S. S. ; PRATSCHKE, A. O uso dos meios digitais para manter vivo o sistema de preservação do patrimônio missioneiro. In: XII Congresso Internacional de Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico e Edificado, 2014, Bauru. XII Congresso Internacional de Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico e Edificado. Bauru: XII Congresso Internacional de Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico e Edificado, 2014. v. 1. p. 1781-1789.

5. VELOSO, P. A., PRATSCHKE, A. Uma Arqueologia de Diagramas Cibernéticos [An Archaeology of Cybernetic Diagrams]. SIGraDi 2013 [Proceedings of the 17th Conference of the Iberoamerican Society of Digital Graphics - ISBN: 978-956-7051-86-1] Chile - Valparaíso 20 - 22 November 2013, pp. 353 - 356 Disponível em: <https://bit.ly/2t8DyKF>. Acesso em: 18 jun. 2018.

6. MIYASAKA, E. L. ; PRATSCHKE, A. A idealização da cidade cibernética de Kisho Kurokawa. In: Sigradi, 2012, Fortaleza. Proceedings of the 16th Iberoamerican Congress of Digital Graphics, 2012. v. 1. p. 21-23. Disponível em: <https://bit.ly/2ymSQ3f>. Acesso em: 18 jun. 2018.

7. ANITELLI, F. ; TRAMONTANO, M. Definição de um modelo: notas sobre interferências das normas de financiamento do BNH no projeto de edifícios de apartamentos paulistanos.. In: 9º Seminário DOCOMOMO Brasil - Interdisciplinaridade e experiências em documentação e preservação do patrimônio recente., 2011, Brasilia. anais do 9º DOCOMOMO, 2011. v. 1. p. 1.

8. MIYASAKA, E. L. ; PRATSCHKE, A. Yona Friedman: A produção de uma arquitetura baseada no processo de comunicação e no design de repertório. In: SIGraDi, 2010, Bogotá. SIGRADI 2010 / Disrupción, modelación y construcción: Diálogos cambiantes. Bogotá: Universidad de los Andes, 2010. v. 1. p. 06-08. Disponível em: <https://bit.ly/2K4QSZY>. Acesso em: 18 jun. 2018.

9. SAKURAI, T. ; TRAMONTANO, M. Notas para a construção de um pensamento sobre a história do mobiliário doméstico paulistano. In: 7o. Congresso P&D Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 2006, Curitiba. P&D Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2006.

10. PRATSCHKE, A.; COSTA, L. S. F. ; BORTOLUCCI, M. A. Mezclando realidades: múltiplas miradas sobre un patrimonio rural. In: VIII Congresso Internacional de Rehabilitacíon del patrimonio Arquitetctónico y edificación, 2006, Buenos Aires e Salta. La dimensión social del patrimonio, 2006. v. 3. p. 556-563.

11. PRATSCHKE, A.; ALMEIDA, C. R. P. ; ROCCA, R. L. ; JANUÁRIO, F. B. Da Ars Mnemônica à Ars generativa: uma reflexão crítica sobre a produção arquitetônica na era glocal. In: X Congresso Iberoamericano de Gráfica Digital, 2006, Santiago de Chile. Sigradi 2006 - Post Digital. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2006. v. 1. p. 308-311. Disponível em: <https://bit.ly/2JWWX7C>. Acesso em: 18 jun. 2018.

12. PRATSCHKE, A.; SANTIAGO, R. P. Olhares múltiplos, ou como conceber um espaço de conhecimento para a cidade de São Carlos. In: X Congresso Iberoamericano de Gráfica Digital, 2006, Santiago de Chile. Sigradi 2006 - Post Digital. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2006. v. 1. p. 377-380. Disponível em:< https://bit.ly/2M4aHhs>. Acesso em: 18 jun. 2018.

13. ROCCA, R. L. ; PRATSCHKE, A. Mnemo_virtus. In: X Congresso Iberoamericano de Gráfica Digital, 2006, Santiago de Chile. Sigradi 2006 - Post Digital. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2006. v. 1. p. 429-433. Disponível em: <https://bit.ly/2JOf6IT>. Acesso em: 18 jun. 2018.

14. PRATSCHKE, A.; ROCCA, R. L. ; SPOSITO, R. Estruturas mnemônicas na Arquitetura Medieval. In: I Ciclo Internacional de Estudos Antigos e Medievais ? VII ciclo de estudos Antigos e Medievais: Relação de Poder, Cultura e Educação, UNESP, 2005, Assis. VII ciclo de estudos Antigos e Medievais: Relação de Poder, Cultura e Educação, 2005. v. Web.

15. PRATSCHKE, A.; BORTOLUCCI, M. A. ; COSTA, L. S. F. Pinhal Digital: uma experiência transdisciplinar. In: II Congresso Mundial de Transdisciplinaridade, Universidade Federal de Espírito Santos, Cetrans, 2005, Vitória/ Espírito Santo. Congresso Mundial de Transdisciplinaridade, 2005. v. CD-Rom.

16. TRAMONTANO, M.; DIAS, M. Encontros e desencontros: modernismo e conjuntos habitacionais na metrópole paulistana. In: I Seminário DoCoMoMo São Paulo - 2004, São Paulo. Anais, 2004. Disponível em: <https://bit.ly/2JMhP5v>. Acesso em: 18 jun. 2018.

17. PRATSCHKE, A. PinhalDigital, Estrutura mnemônica e Processos Multimídia nas Fazendas de Café: História, Arquitetura e Tecnologia. In: Sigradi 2004, Unisinos, São Leopoldo, 2004, São Leopoldo - Brasil. SIGRADI 2004 o sentido e universo digital, 2004. v. 01. p. 197-199. Disponível em: https://bit.ly/2tfPlWs. Acesso em: 18 jun. 2018.

18. ROCCA, R. L. ; PRATSCHKE, A. Estruturando o Inestruturável. A metáfora do Teatro da Memória de Giulio Camilo na construção do espaço virtual. In: sigradi 2004, 2004, São Leopoldo. Sigradi O sentido e o universo digital, 2004. v. 01. p. 132-135. Disponível em: https://bit.ly/2t8mO6e. Acesso em: 18 jun. 2018.

19. TRAMONTANO, M.; SANTOS, D. M. Condomínios horizontais fechados: referências para uma prática contemporânea.. In: IV Congresso Ibero-Americano de Urbanismo., 2000, Recife. Anais, 2000. Disponível em: https://bit.ly/2M5iEmn. Acesso em: 18 jun. 2018.

20. TRAMONTANO, M.; VILLA, S. B. Apartamento metropolitano: evolução tipológica. In: Seminário da história da Cidade e do Urbanismo, 2000, Natal, UFRN, Anais, 2000. Disponível em: https://bit.ly/2JMgj3j. Acesso em: 18 jun. 2018.

21. TRAMONTANO, M.; SANTOS, D. M. Atrás dos muros: unidades habitacionais em condomínios horizontais fechados.. In: II Congresso Internacional El Habitar. Buenos Aires, 1999, Buenos Aires. Anales, 1999. Disponível em: https://bit.ly/2t9bnLp. Acesso em: 18 jun. 2018.

22. TRAMONTANO, M.. Novos modos de vida, novos espaços de morar: São Paulo, Paris e Tokyo.. In: IV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo, 1996, Rio de Janeiro. Anais, 1996. v. 1. p. 328-339.

.

Cultural heritage and digital media: the Nomads' route

Marcelo Tramontano, Anja Pratschke

Marcelo Tramontano is an Architect and Urbanist, Master, Doctor and Livre-Docente in Architecture and Urbanism. He is an Associate Professor of the Institute of Architecture and Urbanism of the University of São Paulo, where he coordinates Nomads.usp. He is the Editor-in-chief of V!RUS journal.

Anja Pratschke is an Architect and Doctor in Computer Science. Professor and researcher at the Institute of Architecture and Urbanism of the University of Sao Paulo, Brazil, and a co-coordinator of Nomads.usp. She develops and guides research in the areas of design and communication processes in architecture.


How to quote this text: Tramontano, M., Pratschke, A. Cultural heritage and digital media: the Nomads' route. V!RUS, São Carlos, n. 16, 2018. [e-journal][online] [online] Available at: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus16/?sec=6&item=1&lang=en>. [Accessed: 19 August 2019].


Abstract

This essay seeks to contextualize current research interests and interfaces of Nomads.usp with the theme "The construction of memory", through a brief reading of related finished and ongoing research activities. Although Nomads.usp is not known as a research group dealing specifically with historical and heritage issues, an examination of these works shows that several of them address the themes of Cultural Heritage and the Construction of Memory. Furthermore, some of them seek to contribute to the construction of historical databases on Architecture and Urbanism in Brazil. This text proposes a thematic categorization from issues dealing with in individual research works, and briefly presents transversal projects related to the themes of the Construction of Memory and Cultural Heritage, as well as its methodological principles.

Keywords: Nomads.usp; Academic research; Cultural heritage; Digital media


1 Introduction

Since its foundation in July 2000, Nomads.usp has been in the search for contributing to a holistic understanding of its objects of study. It is based on a theoretical-conceptual tripod formed, mainly, by the notions of system, transdisciplinarity and praxis. Briefly, given the limits and goals of this text, the objects of study are understood as parts of larger systems, whose dynamics and functioning need to be observed with the aid of lenses coming from different disciplinary fields, which presupposes the participation of multiple actors - including non-academics - in collaborative processes of knowledge production. Such a position aims, on the one hand, to extend the methodological procedures of research and design, proper to Architecture and Urbanism, and, on the other hand, to create a locus of interlocution between areas, and between university and community. The common ground on which this tripod rests is digital mediation, exploited in various ways, both by the use of computer programs and digital environments, by digitally mediated communication and design processes, or by the participatory formulation of public policies and productive processes.

In this issue of V!RUS journal, created and edited collectively by Nomads.usp to broaden the discussion about its research themes, this text seeks to contextualize the current interests and interfaces of the Centre on the theme "The construction of memory", through a brief reading of the part of activities related to it. Thus, although Nomads.usp is not known as a research group within the subarea that deals specifically with historical and heritage issues, an examination of current or completed research shows that several of them address Cultural Heritage and Construction of Memory, and several contribute to the effort of building historical databases on Architecture and Urbanism in Brazil. Some main ideas, postures and concerns pervade this set of works:

1.1 The contribution of historical studies in today's understanding

Despite choosing to prioritize current problems, many researches produce quite broad studies that reconstruct the historiography of specific subjects, aiming to understand processes and possibilities of intervention in the present time;

1.2 Digital media, what for?

Through a wide range of possibilities, the use of digital media has been explored in processes of information organization, documentation and registration of material and immaterial assets, visualization of past, present and future situations, communication between decision makers - including community participation - creation of ephemeral realities stimulating participants' reflection and motivation, and intervention design processes in existing environments;

1.3 Who decides what should be remembered?

Seeking to reverse the classical logic of Brazilian preservation policies, according to which a great majority of preserved goods are made up of religious specimens - generally Christian – military, and others related to the dominant classes of each era - their houses, schools, shops, among others - , the theme of community participation in public decision-making processes, supported by digital means, has been attracting more and more interest from Nomads.usp researchers.

Since these concerns are not absent from most other ongoing or completed research in the Centre, collaboration between researchers in distinct areas is widely stimulated, encouraging transdisciplinarity and emergencies. The favoured territory where this interlocution occurs are transversal projects that bring together several individual research projects, and aim at results that are only possible through collective work. The idea of praxis presides over the formulation and realization of such projects, because in them practical actions and theoretical reflections are continuously interrelated, often involving academic researchers from other groups and institutions, as well as non-academic partners such as cultural collectives, public, communities and the public in general.

2 Categorizing individual research

A retrospective review allows us to identify the recurrence of some categories, around which it is possible to group the research works related to the themes discussed here. Because of their specificities and scope, some works may be connected to more than one category.

2.1 Cultural heritage and digital media

The use of diverse digital in actions related to cultural heritage includes not only classical approaches of the area, such as the visualisation and valorisation of built heritage, but also the encouragement of community participation in the decision-making processes of preservation, and information and awareness projects for the general public. The studies involve the construction and use of online platforms, public and free applications and repositories, as well as specific technologies such as QR Code, digital modeling, audiovisual and augmented reality resources.

2.2 Cultural heritage and metatheories

Case studies are examined using the lenses of so-called metatheories, which propose systemic and relational approaches. Its main references are Ludwig Von Bertalanffy's General Theory of Systems, Edgar Morin's (2005) and Basarab Nicolescu's Works on Transdisciplinarity and Complex Thought (1999), which structure the participation of the various agents as actors of an open system to self-organization and emergencies; the Principles of Second Order Cybernetics related to the verification of the viability of the system with the integration of its parts and their organization, formulated by Stafford Beer (1994); the support of Gordon Pask's Theory of Conversation (1975), which allows the observation of structures of relationships between disciplines and forms of collaboration; and the structuring of dialogues proposed by Gregory Bateson (1972), who considers the researcher-observer an active part of the observed systems.

2.3 Contributions to historical research in Architecture and Urbanism in Brazil

Several researches, some of them not directly related to the themes of Memory and Cultural Heritage, have produced extensive historical reviews on various topics of interest in the area of Architecture and Urbanism. We highlight the studies on housing modalities, as well as those that seek to contribute to a sometimes-non-existent historiography of the use of digital media in communication and design processes in Brazil.

2.4 Genealogies and databases

The reflections developed in several works, especially those included in item 2.3, are only possible because they count on extensive and valuable databases, usually produced by undergraduate researchers Scientific Initiation. These bases constitute genealogies and cutouts on varied themes, such as apartments in São Paulo (textual information and graphic pieces from hundreds of copies, from 1908 to 2014, per decade), development of Brazilian media (telephone, film, radio, television, Internet , etc.), lifestyles and behavioural tendencies in São Paulo and Brazil throughout the 20th century and the first decade of the 21st century, horizontal gated condominiums and their historical references, furniture design in Brazil and abroad, housing projects for low-income population in the city of São Paulo, among others.

2.5 Memory and memorizing

Finally, a set of research produced, in the first years of existence of the Centre, important theoretical bases on techniques and concepts related to memory and to the processes of memorization. Valued from classical antiquity and throughout the Middle Ages for their comprehensive and transversal character, these concepts and practices became less important in the face of the Renaissance appreciation of Reason, followed by the establishment of a scientific-technological thinking that, in the final analysis, prioritizes rational and utilities values, from the Industrial Revolution to the present day. The advent of the computer in the middle of the twentieth century and the rapid consolidation of the so-called Digital Culture, simultaneously to the formulation of holistic metatheories, required a revision of the very notion of memory, now understood, even from a computational point of view.

3 Transversal projects

As territories of interlocution between individual research, and between Academy and Community, the projects mentioned here deal, in varying degrees and modes, with the themes of Cultural Heritage and Memory. Organised under the subtitle Transversal Projects, they constitute, however, very different experiences of collective action, both in their nature, in their scope, methodology and duration.

3.1 Digital Pinhal

The "Pinhal Digital" Extension course was held annually in five editions - 2003, 2004, 2005, 2006 and 2008 - as a unique experience, suggested by a peculiarity of the region of São Carlos, that made it possible to bring together researchers from the public universities of the region and owners and employees of Pinhal and Santa Maria around the registration and organization of the material and immaterial patrimony of these two important historical Coffee Farms. Around fifty people participated in each annual edition, involving researchers from the areas of Architecture and Urbanism, Computer Science, Information Science, Cinema, Environmental Sciences, Archaeology, and History. Among many benefits, the project allowed Nomads.usp to produce and systematize knowledge on issues related to memory, memorization, organization and information and communication technologies, expansion of methodological and management procedures, and educational processes. It also paved the way for graduate and undergraduate researchers to become interested in developing research on heritage and digital media at Nomads.usp, stimulating and facilitating collaboration with professors and research groups from other areas, and, conversely, the participation of researchers from the Centre in projects of other groups and institutions. The course, and especially its transdisciplinary method, elaborated and refined jointly throughout its five editions, was widely divulged in lectures and congresses of diverse areas, emphasizing its good reception in the II World Congress of Transdisciplinarity, in September of 2005.

The overall proposal of the project extrapolated the initial goals of digital and informational modeling of the built heritage, to include the historical study of the livelihoods of its inhabitants and users. Its conception aimed at forming the participant, the researcher, the designer of the experience and the computational interface, and also the user who interacted with such interface, learning about and with the patrimony. The Digital Pinhal Project also allowed the application, evaluation and refinement of varied methodologies, later used in other Nomads.usp research projects. Perhaps its most enriching aspect was, in fact, the encounter of specific methodologies of different areas, brought by researchers with varied formations, contributing to a diversity of looks on the same object. The clashes between them, the necessary reorganizations and welcome emergencies, the discussions aimed at reaching agreements and aiming at common goals, constituted a dense practical experience of Complexity and Cybernetics.

3.2 Digital Memory of Sao Carlos

Conducted between 2004 and 2007, this research project on inter-area Public Policies was coordinated by Full Professor Dr. José Carlos Maldonado, from the Institute of Mathematical Sciences and Computation, University of São Paulo, with funding from the Foundation for Research Support of the State of São Paulo, FAPESP. The municipality of São Carlos and region presents a diversity of collections of inestimable historical value, which contain documents of varied nature, of great importance for the construction of the memory of the municipality, as well as relevant aspects of the history of Brazil itself. Currently, these collections, as well as most of the Brazilian collections, are in a precarious state of conservation, and many are still unknown even by researchers from related areas. In the early 2000s, several isolated collective efforts, both public and private, aimed at organizing such collections and making them available to researchers and the general public.

The Sao Carlos Digital Memory Project had as its main goal the development of a web-based system capable of publicly storing and making available information on special collections of libraries, museums and public archives, as well as information on architectural and natural assets of the city and region. This system included the following information collections: documentary collections, bibliographical collections, museum objects, architectural assets, natural assets, and multimedia documents. Both the development process and the resulting web-based system are guided by the ideology of free software, aiming at motivating local entities, such as city halls, historic farms, civil associations, among others, to also make use of this system, with low implementation costs, making their collections available to the community in general. Through the proposed mechanisms, the aim was to implement a distributed system capable of publicly integrating and making available collections at the municipal, regional, state and national levels. A universal registration database was created, accessible through a digital portal, implemented and validated at the Pro-Memoria Foundation, at the library of Fazenda Pinhal, and at museums in the city.

3.3 Virtual Paths

Coordinated by Profa. Dr. Anja Pratschke and ongoing since 2017, the research and extension project "Virtual Paths: Collaboration in narratives of the cultural heritage of São Carlos, SP" is the result of a specific demand from the Pro-Memoria Foundation of São Carlos, linked to the Coordination of Arts and Culture of the City administration of São Carlos. Under the Nomads.usp, it is funded by CAPES, FAPESP and PUB-USP, as part of a PhD research and two Scientific Initiation research, respectively. The project aims to explore the use of information and communication technologies in surveying and publicizing the tangible and intangible heritage of the city of São Carlos, and specifically the combined use of QR Code technology and online platforms in the construction of interactive and collaborative interfaces of the city's cultural heritage. In this way, end users are expected to be able to obtain information about buildings and their components through QR Code readings associated with them, which refer to a website.

3.4 Views of Brotas

This Heritage Education project, in progress, deals with processes of renovation of the view of the residents of the city of Brotas, SP, on buildings with historical relevance of their city. It is a partnership of Nomads.usp with the Culture department of Brotas and the public school Álvaro Callado, within the scope of a PhD research funded by CAPES. It aims to contribute to the collective construction of values that help to recognize the importance of exemplary urban patrimony, spontaneously attributed by the inhabitants and not necessarily by preservation agencies, local public authorities or research institutions. For this, formative processes of urban reading and expression are organized in the form of workshops with sectors of the community, in which cognitive mappings are produced. From the visual reading of several aspects that compose the architectural ambience of the city, the mappings were constructed by means of digital photocollages. More than producing representations of the physical space, this process of overlapping of images allows to graphically portray subjective aspects of the perception of each observer. The first set of workshops was held in February and April 2018, ending with a large format photo exhibition in the main square of the city.

3.5 Frontier Zones

The ongoing Frontier Zones project stems from the research groups interest in expanding the forms of expression of a given community and is located in a number of Nomads.usp initiatives to explore the audio-visual language and its narrative possibilities. The project is a partnership between Nomads.usp and researchers from German universities Leuphana and Hafencity and co-financed by the German and Brazilian agencies DAAD and CAPES. The project aims to produce readings and expressions of urban dynamics through the use of audiovisuals and, in particular, of the documentary film. The process of making the films is used as a means of approaching urban realities, from the selection of subjects to be investigated in a given area of the city. Among the various actions carried out so far in Brazil and Germany, two workshops were held, each lasting 15 days, bringing together specialists and selected participants from different areas, from various research institutions. In addition to several short films, the project has produced a digital online repository for public access where both raw footage and sound footage, as well as final films, are available for free, alongside all recordings and films from other projects of the Nucleus. Among them, the documentary Re: Cordis (2017), produced within the framework of a undergraduate initial research project (https://bit.ly/2JYASbY), financed by FAPESP, is directly related to the theme of memory construction.

4 Conclusions

Nowadays, in Brazil, the studies on Historical Patrimony seem to concentrate, basically, on the themes of heritage management, identification and documentation of assets, conservation and restoration techniques, and preservation policies. Research groups, public institutions and private companies have been producing a great diversity of works, many of them of excellent quality and absolutely necessary in a country where the culture of preservation and appreciation of material and intangible cultural heritages by the common citizen still crawls. We understand that the recent awareness of parts of the population about the importance of preserving cultural expressions is due, in large part, to the decentralized political project provided for in the 1988 Constitution and pushed, as of 2003, with the de facto implementation of the National System of Culture throughout the country, which sought to reverse the logic, until then, that prioritized the appreciation of cultural expressions of the dominant classes.

The approach to this subarea, traced by Nomads.usp, derives from studies on and supported by systemic theories, projects aiming at community participation in public decision-making processes, research on cultural actions and formulation of public cultural policies, having as common denominator the use of digital media. At the intersection of these themes, there are still processes of great complexity to be studied and implemented, which aim, in the last instance, to include memory and cultural heritage in the understanding of the common, as democratic, collective and therefore political principle in the potent meaning proposed by Laval and Dardot (2017).

Among the many current demands and challenges of this subarea, the Centre is currently interested in formulating and developing research that will continue the path presented here, particularly on the following subjects:

a. Augmented Reality and cultural heritage

b. Documentation and memory constructing

c. Systemic organization of information and communication: techniques and methods

d. Heritage Management and Education

e. Citizen participation in preservation decision-making processes

f. Cities, historic environments and gentrification processes

References

Bateson, G., 1972. Steps to an ecology of mind: collected essays in anthropology, psychiatry, evolution, and epistemology. San Francisco: Chandler.

Beer, S., 1994. Beyond dispute: the invention of team syntegrity. Chichester: John Wiley.

Laval, Ch., DARDOT, P., 2017. Comum: Ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Boitempo.

Morin, E., 2005. Introdução ao pensamento complexo. Tradução de Eliane Lisboa. 5a. edição. Porto Alegre: Sulina.

Nicolescu, B., 1999. O manifesto da transdisciplinaridade. Tradução de Lucia Pereira de Souza. São Paulo: Triom.

Pask, G., 1975. Conversation cognition and learning. Amsterdam: Elsevier.

APPENDIX

1 TRANSVERSAL PROJECTS

1. Pinhal Digital

2. Memória Digital de São Carlos.

3. Percursos Virtuais

4. Olhares de Brotas

5. Frontier Zones

6. Re: cordis. Audiovisual documentary. 9 min. 2017. Financing: FAPESP. Available at: <https://bit.ly/2K1gbMK>. Accessed on 18 Jun. 2018.

2 INDIVIDUAL RESEARCH COMPLETED

2.1 Higher Theses

Marcelo Tramontano. SQCB: Apartments and ways of living in the city of São Paulo. 2004. Thesis (Teaching in Architecture and Urbanism). School of Engineering of São Carlos, University of São Paulo, USP, Brazil.

2.2 Doctor Theses

1. Marcelo Tramontano. New ways of life, new living spaces - Paris, São Paulo, Tokyo: a reflection on contemporary housing. 1998. PhD Dissertation (Architecture and Urbanism). Faculty of Architecture and Urbanism, University of São Paulo, USP, Brazil. Advisor: Suzana Pasternak Taschner. Partial CNPQ Scholarship.

2. Anja Pratschke. Between mnemo and locus: architecture of virtual spaces, construction of mental spaces. 2002. PhD Dissertation (Computer Science). Institute of Mathematical and Computational Sciences, University of São Paulo, USP, Brazil. Advisor: Edson dos Santos Moreira. FAPESP Fellow.

2.3 Master Thesis

1. Simone Villa. Metropolitan apartment: housing and ways of life in the city of São Paulo. 2002. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - University of São Paulo, Foundation for Research Support of the State of São Paulo. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow.

2. Denise Monaco dos Santos. Behind the walls: housing units in enclosed horizontal condominiums. 2002. Master Thesis ( Architecture and Urbanism) - University of São Paulo, Coordination of Improvement of Higher Education Personnel. Advisor: Marcelo Tramontano. CAPES scholarship.

3. Rodrigo Peronti Santiago. Memory and cultural heritage in virtual environments. 2007. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Anja Pratschke. FAPESP Fellow. Available at: https://bit.ly/2yku9EQ. Accessed on: 18 jun. 2018.

4. Renata la Rocca. Art of Memory and Architecture. 2007. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Anja Pratschke. CAPES scholarship.

5. Fábio Abreu de Queiroz. Apartment model: architecture, living modes and real estate production in the city of São Paulo. 2008. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. CAPES scholarship.

6. Cynthia Nojimoto. Design for experience: digital processes and systems. 2009. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow.

7. Felipe Anitelli. How a model is born: the design of apartments in the city of São Paulo. 2010. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow.

8. Elza Luli Miyasaka. Re: vision: housing in the 1960ties. 2011. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Anja Pratschke. CAPES scholarship.

9. Sandra Schmitt Soster. Jesuit missions as a system. 2014. Master Thesis (Architecture and Urbanism) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Anja Pratschke. FAPESP Fellow.

2.4 Scientific Initiation Research

1. Fernando Atique. Evolution of housing for low-income population in the city of São Paulo. 1996. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. FIPAI Fellow.

2. David Moreno Sperling. Social Housing in France: recent developments and current proposals. 1997. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. CNPQ scholarship holder.

3. Janice Kirner. São Paulo apartment: one hundred years later. 2001. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow.

4. Ricardo Sposito. Memorization and Architecture. 2004. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Anja Pratschke. CNPQ scholarship holder.

5. Ana Paula Siluk. New media and domestic space: survey and characterization. 2004. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow. Available at: https://bit.ly/2M1aPOU. Accessed on: 18 jun. 2018.

6. Lisandra dos Santos Casagrande. Historical and cultural heritage and new media. 2007. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - School of Engineering of São Carlos. Advisor: Anja Pratschke. FAPESP Fellow. Available at: https://bit.ly/2tet1h5. Accessed on: 18 jun. 2018.

7. Nathália Chagas. 2012. Recent family arrangements: Brazil, 1990-2012. Scientific Initiation (Graduate in Architecture and Urbanism). - USP - Institute of Architecture and Urbanism. FAPESP Fellow. Available at: https://bit.ly/2GpEXFb. Accessed on: 18 jun. 2018.

8. Victor Borin. DocCidade: reading of hybrid urban spaces, the documentary as method. 2017. Scientific Initiation (Graduate in Image and Sound) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow. Available at: https://bit.ly/2JYASbY. Accessed on: 18 jun. 2018.

9. Maria Clara Cardoso. Surveys and readings of case studies on the insertion of digital resources in the management and preservation of the patrimony. 2018. Scientific Initiation. (Graduate in Architecture and Urbanism) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Anja Pratschke. FAPESP Fellow.

3 INDIVIDUAL RESEARCH IN PROGRESS

3.1 Doctor Research

1. Jessica Aline Tardivo. Preservation as a system: the case of Brotas. Beginning: 2015. PhD Dissertation (Doctorate in Theory and History of Architecture and Urbanism) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Anja Pratschke. CAPES scholarship. Available at: https://bit.ly/2t77art. Accessed on: 18 jun. 2018.

2. Sandra Schmitt Soster. The role of experience in the management of cultural heritage. Beginning: 2016. PhD Dissertation (Doctorate in Theory and History of Architecture and Urbanism) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Anja Pratschke. CAPES scholarship. Available at: https://bit.ly/2I1rpvH. Accessed on: 18 jun. 2018.

3.2 Scientific Initiation Research

1. Maria Vitoria do Nascimento Inocencio. Use of the QR Code and linked contents for cultural heritage: the case of the Railway Station and neighbourhood of São Carlos. Beginning: 2017. Scientific initiation (Graduate in Computer Science) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Anja Pratschke. Scholarship PUB-USP.

2. Bruno Longhi Simões Seri. Sharing decisions: digital interfaces for community participation. Beginning: 2018. Scientific initiation (Graduate in Production Engineering) - USP - Institute of Architecture and Urbanism. Advisor: Marcelo Tramontano. FAPESP Fellow.

4 PUBLICATIONS

4.1 Full Articles in Academic Journals

1. SOSTER, S. S.; PRATSCHKE, A. Tecendo a cidade: a quem cabe a decisão de preservar?. VIRUS, v. 14, p. 1-9, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2MA51Nc. Acesso em: 18 jun. 2018.

2. TARDIVO, J. A.; PRATSCHKE, A. Educação e memória: métodos e experiências digitais.. VIRUS, v. 15, p. 1-14, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2JXUwS9. Acesso em: 18 jun. 2018.

3. TARDIVO, J. A.; PRATSCHKE, A. Cidade como lugar de mémorias. Revista Memória em Rede, v. 8, p. 3-21, 2016. Disponível em: https://bit.ly/2ljONvc. Acesso em: 18 jun. 2018.

4. ANITELLI, F.; TRAMONTANO, M. Construir, legislar, burlar: edifícios de apartamentos em São Paulo, 1920-1957. Arquitextos (São Paulo), v. 1, p. 1, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2tl8NBh. Acesso em: 18 jun. 2018.

5. ANITELLI, F.; TRAMONTANO, M. Edifícios de apartamentos, São Paulo, anos 1950: mercado imobiliário e (um pouco de) arquitetura. Pós. Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAU-USP, v. 19, p. 66-81, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2JRx4tG. Acesso em: 18 jun. 2018.

6. ANITELLI, F.; TRAMONTANO, M. Café e modernização em São Paulo: verticalização da cidade no começo do século XX.. Cadernos do PROARQ (UFRJ), v. 16, p. 71-82, 2011. Disponível em: https://bit.ly/2K4gg1S. Acesso em: 18 jun. 2018.

7. SANTIAGO, R. P.; PRATSCHKE, A. Memória e patrimônio cultural em ambientes virtuais. Leopoldianum (UNISANTOS), v. 35, p. 27-42, 2009.

8. TRAMONTANO, M. Apartamentos em São Paulo: brevíssimo exame de uma história controversa. AU. Arquitetura e Urbanismo, v. abril, p. 68-71, 2006. Disponível em: https://bit.ly/2K4fh1G. Acesso em: 18 jun. 2018.

9. TRAMONTANO, M. Alice no país da especulação imobiliária: habitação e modos de vida na cidade de São Paulo. Cidades. Comunidades e Territórios, Lisboa, Portugal, v. 6, p. 75-82, 2003. Disponível em: https://bit.ly/2liaQm0. Acesso em: 18 jun. 2018.

10. TRAMONTANO, M.; SANTOS, D. M. Condomínios fechados: um olhar arquitetônico.. Revista AAI, Porto Alegre, v. 1, 2001. Disponível em: https://bit.ly/2llkdl0. Acesso em: 18 jun. 2018.

11. VILLA, S. ; TRAMONTANO, M. Apartamento metropolitano: uma tipologia em evolução. Revista da Universidade de Franca, Franca, n.8, p. 21-24, 1999.

4.2 Published books

1. TRAMONTANO, M. (org.) Belém FluXos: a orla como interface. São Carlos/Belém: IAU-USP, 2015. 100p.

2. TRAMONTANO, M. Habitação Moderna: a construção de um conceito. São Carlos: EESC-USP, 1993. 71p.

4.3 Book chapters

1. PRATSCHKE, A. Arquitetura para Memória. In: Artur MATUCK; Jorge Luiz ANTONIO. (Org.). Artemidia e Cultura Digital. São Paulo: Musaeditora, 2009, v. 1, p. 203-218.

2. PRATSCHKE, A.; BORTOLUCCI, M. A. ; COSTA, L. S. F. . Pinhal Digital: Uma experiência de transdisciplinaridade. In: Nídia Pavan Kuri, Antônio Nélson Rodrigues da Silva. (Org.). O ensino no Campus USP São Carlos, Inovações e Inovadores. São Carlos: CETEPE-USP, 2006, v. 1, p. 67-86.

4.4 Publication of scientific conferences

1. TARDIVO, J. A. ; PRATSCHKE, A. Reflexões sobre as Políticas e Ações de Educação Patrimonial no Brasil como Instrumento para Formação Cultural.. In: I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural, 2017, Cuiabá. I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural. Cuiabá: Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural, 2017. v. 1. p. 1-14.

2. TRAMONTANO, M.; NOJIMOTO, C. ; PERDIGÃO, A. K. TrapiXe: the site as a parameter. In: XVIII SIGRADI Congresso da Sociedade Ibero-americana de Gráfica Digital, 2014, Montevideo. Design in freedom, 2014. Disponível em: https://bit.ly/2I0YtDY. Acesso em: 18 jun. 2018.

3. SOSTER, S. S. ; PRATSCHKE, A. Sistema de preservação do patrimônio missioneiro: o uso de mídias digitais para dissipar fronteiras geográficas. In: SIGRADI 2014 - XVIII Congresso da Sociedade Iberoamericana de Gráfica Digital, 2014, Montevideo. SIGRADI 2014 - XVIII Congresso da Sociedade Iberoamericana de Gráfica Digital. Montevideo: Universidad Nacional de Uruguay, 2014. v. 1. p. 461-465. Disponível em: https://bit.ly/2M53pKl. Acesso em: 18 jun. 2018.

4. SOSTER, S. S. ; PRATSCHKE, A. O uso dos meios digitais para manter vivo o sistema de preservação do patrimônio missioneiro. In: XII Congresso Internacional de Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico e Edificado, 2014, Bauru. XII Congresso Internacional de Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico e Edificado. Bauru: XII Congresso Internacional de Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico e Edificado, 2014. v. 1. p. 1781-1789.

5. VELOSO, P. A., PRATSCHKE, A. Uma Arqueologia de Diagramas Cibernéticos [An Archaeology of Cybernetic Diagrams]. SIGraDi 2013 [Proceedings of the 17th Conference of the Iberoamerican Society of Digital Graphics - ISBN: 978-956-7051-86-1] Chile - Valparaíso 20 - 22 November 2013, pp. 353 - 356 Disponível em: https://bit.ly/2t8DyKF. Acesso em: 18 jun. 2018.

6. MIYASAKA, E. L. ; PRATSCHKE, A. A idealização da cidade cibernética de Kisho Kurokawa. In: Sigradi, 2012, Fortaleza. Proceedings of the 16th Iberoamerican Congress of Digital Graphics, 2012. v. 1. p. 21-23. Disponível em: https://bit.ly/2ymSQ3f. Acesso em: 18 jun. 2018.

7. ANITELLI, F. ; TRAMONTANO, M. Definição de um modelo: notas sobre interferências das normas de financiamento do BNH no projeto de edifícios de apartamentos paulistanos.. In: 9º Seminário DOCOMOMO Brasil - Interdisciplinaridade e experiências em documentação e preservação do patrimônio recente., 2011, Brasilia. anais do 9º DOCOMOMO, 2011. v. 1. p. 1.

8. MIYASAKA, E. L. ; PRATSCHKE, A. Yona Friedman: A produção de uma arquitetura baseada no processo de comunicação e no design de repertório. In: SIGraDi, 2010, Bogotá. SIGRADI 2010 / Disrupción, modelación y construcción: Diálogos cambiantes. Bogotá: Universidad de los Andes, 2010. v. 1. p. 06-08. Disponível em: https://bit.ly/2K4QSZY. Acesso em: 18 jun. 2018.

9. SAKURAI, T. ; TRAMONTANO, M. Notas para a construção de um pensamento sobre a história do mobiliário doméstico paulistano. In: 7o. Congresso P&D Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 2006, Curitiba. P&D Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2006.

10. PRATSCHKE, A.; COSTA, L. S. F. ; BORTOLUCCI, M. A. Mezclando realidades: múltiplas miradas sobre un patrimonio rural. In: VIII Congresso Internacional de Rehabilitacíon del patrimonio Arquitetctónico y edificación, 2006, Buenos Aires e Salta. La dimensión social del patrimonio, 2006. v. 3. p. 556-563.

11. PRATSCHKE, A.; ALMEIDA, C. R. P. ; ROCCA, R. L. ; JANUÁRIO, F. B. Da Ars Mnemônica à Ars generativa: uma reflexão critica sobre a produção arquitetônica na era glocal. In: X Congresso Iberoamericano de Gráfica Digital, 2006, Santiago de Chile. Sigradi 2006 - Post Digital. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2006. v. 1. p. 308-311. Disponível em: https://bit.ly/2JWWX7C. Acesso em: 18 jun. 2018.

12. PRATSCHKE, A.; SANTIAGO, R. P. Olhares múltiplos, ou como conceber um espaço de conhecimento para a cidade de São Carlos. In: X Congresso Iberoamericano de Gráfica Digital, 2006, Santiago de Chile. Sigradi 2006 - Post Digital. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2006. v. 1. p. 377-380. Disponível em: https://bit.ly/2M4aHhs. Acesso em: 18 jun. 2018.

13. ROCCA, R. L. ; PRATSCHKE, A. Mnemo_virtus. In: X Congresso Iberoamericano de Gráfica Digital, 2006, Santiago de Chile. Sigradi 2006 - Post Digital. Santiago de Chile: Universidad de Chile, 2006. v. 1. p. 429-433. Disponível em: https://bit.ly/2JOf6IT. Acesso em: 18 jun. 2018.

14. PRATSCHKE, A.; ROCCA, R. L. ; SPOSITO, R. Estruturas mnemônicas na Arquitetura Medieval. In: I Ciclo Internacional de Estudos Antigos e Medievais ? VII ciclo de estudos Antigos e Medievais: Relação de Poder, Cultura e Educação, UNESP, 2005, Assis. VII ciclo de estudos Antigos e Medievais: Relação de Poder, Cultura e Educação, 2005. v. Web.

15. PRATSCHKE, A.; BORTOLUCCI, M. A. ; COSTA, L. S. F. Pinhal Digital: uma experiência transdisciplinar. In: II Congresso Mundial de Transdisciplinaridade, Universidade Federal de Espirito Santos, Cetrans, 2005, Vitória/ Espírito Santo. Congresso Mundial de Transdisciplinaridade, 2005. v. CD-Rom.

16. TRAMONTANO, M.; DIAS, M. Encontros e desencontros: modernismo e conjuntos habitacionais na metrópole paulistana. In: I Seminário DoCoMoMo São Paulo - 2004, São Paulo. Anais, 2004. Disponível em: https://bit.ly/2JMhP5v. Acesso em: 18 jun. 2018.

17. PRATSCHKE, A. PinhalDigital, Estrutura mnemônica e Processos Multimídia nas Fazendas de Café: História, Arquitetura e Tecnologia. In: Sigradi 2004, Unisinos, São Leopoldo, 2004, São Leopoldo - Brasil. SIGRADI 2004 o sentido e universo digital, 2004. v. 01. p. 197-199. Disponível em: https://bit.ly/2tfPlWs. Acesso em: 18 jun. 2018.

18. ROCCA, R. L. ; PRATSCHKE, A. Estruturando o Inestruturável. A metáfora do Teatro da Memória de Giulio Camilo na construção do espaço virtual. In: sigradi 2004, 2004, São Leopoldo. Sigradi O sentido e o universo digital, 2004. v. 01. p. 132-135. Disponível em: https://bit.ly/2t8mO6e. Acesso em: 18 jun. 2018.

19. TRAMONTANO, M.; SANTOS, D. M. Condomínios horizontais fechados: referências para uma prática contemporânea.. In: IV Congresso Ibero-Americano de Urbanismo., 2000, Recife. Anais, 2000. Disponível em: https://bit.ly/2M5iEmn. Acesso em: 18 jun. 2018.

20. TRAMONTANO, M.; VILLA, S. B. Apartamento metropolitano: evolução tipológica. In: Seminário da história da Cidade e do Urbanismo, 2000, Natal, UFRN, Anais, 2000. Disponível em: https://bit.ly/2JMgj3j. Acesso em: 18 jun. 2018.

21. TRAMONTANO, M.; SANTOS, D. M. Atrás dos muros: unidades habitacionais em condomínios horizontais fechados.. In: II Congresso Internacional El Habitar. Buenos Aires, 1999, Buenos Aires. Anales, 1999. Disponível em: https://bit.ly/2t9bnLp. Acesso em: 18 jun. 2018.

22. TRAMONTANO, M.. Novos modos de vida, novos espaços de morar: São Paulo, Paris e Tokyo.. In: IV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo, 1996, Rio de Janeiro. Anais, 1996. v. 1. p. 328-339.

 

.